PORQUE PESCAR COM CAIAQUE

with 6 Comentários

 

pesca com caiaque

Olá, pescador!

Ou poderia dizer caiaqueiro pescador. Ainda não? Mas está quase lá, sim? Bem-vindo a uns do primeiros e mais memoráveis artigos do blog Kayak Fishing Brasil.

Como me disseram uma vez:

pesca com caiaque

 

Dar aquele passo à frente e sair do barranco… ou não?

Você já viu inúmeras fotos e vídeos na internet sobre o assunto, com certeza. Várias pessoas aderiram a pesca de caiaque e estão se divertindo por aí. Pegam peixe adoidado, simplesmente porque deixaram o barranco de lado.

E agora você também quer esta opção. Certo?

Você quer liberdade de entrar e sair da água onde quiser, como quiser e quando quiser. Mas você tem alguns, digamos, receios.

  • Medo de ser perigoso. Afinal, é uma embarcação pequena demais. Como enfrentamos o mar com um pedaço de plástico de apenas três metros?
  • Medo de não gostar. O investimento nem sempre é baixo, e dispor de recursos para depois se arrepender nem sempre é uma boa opção.
  • Medo de não se adaptar. Talvez o pior de todos. O que fazer se simplesmente você e seu novo companheiro, o caiaque de pesca, parecerem não “conversar direito”.

Hoje, a sua vontade é a de ir “ali pertinho”. Só um pouco fora do barranco, você já chegaria no ponto exato que seu arremesso não pode alcançar.

O próximo passo será ir “um pouquinho mais”. O mundo se abrirá após a aquisição do caiaque de pesca, e novos limites irão se impor em sua mente.

Quando você menos esperar… 

Essa decisão pode mudar sua história como pescador, mas nem sempre é fácil. Além de muita pesquisa e troca de ideias, é preciso pensar em muitas coisas que devem vir agregadas.

 

Mas vamos em frente. Este post de abertura do blog Kayak Fishing Brasil foi preparado especialmente para você que quer saber mais sobre esse esporte, que cresce a cada dia no mundo todo.

 

Vou compartilhar com vocês a minha experiência, que está resumida da seguinte maneira:

 

  1. Minha história, sua história. A pesca antes do caiaque;
  2. Desejo de liberdade: a ideia de navegar;
  3. Bunda molhada: a estreia no remo;
  4. Medo: o companheiro de sempre;
  5. Anos depois: cenas dos próximos capítulos.

Gostou do que está por vir? Então compartilhe com seus amigos para que esse artigo também possa servir de incentivo à eles.


1. A PESCA ANTES DO CAIAQUE

pesca de caiaque

 

Muitas vezes quando somos crianças não escolhemos as coisas que queremos fazer. Mas algumas crianças “escolhem” gostar de pesca.

Meus dois avôs são exímios pescadores. Uma vida de experiências na água. Cada um no seu estilo. Meu pai acabou seguindo os passos deles e comigo não poderia ser diferente.

Recordo-me de todos os detalhes da primeira pescaria com iscas artificiais da minha vida. O local; a cana pegando fogo ao fundo. Parecia que o sol do final da tarde havia incendiado aquela plantação.

Tucunarés atacando cardumes de iscas, e eu com minha primeira carretilha em mãos, depois de muito treino.

Nesse dia, meu avô pegava um atrás do outro. Já eu, recebendo instruções, consegui capturar dois. A isca que usei era da saudosa marca Farias e a guardo até hoje.

pasca com caiaque isca artificial

 

Dois grandes rios cortam a região onde passo minhas férias. O Rio Grande, mais ao norte, e o Tietê, ao sul.

Quem conhece apenas o Tietê paulistano, por vezes, não consegue imaginar sua segunda parte limpa.

A nascente na cidade de Salesópolis – SP é seu primeiro ponto. Após isso, ele corre na direção oposta ao mar. Passa pela Capital, e após isso, a natureza se encarrega de limpá-lo novamente para desaguar no Rio Paraná, divisa com Mato Grosso do Sul.

 

VALE DO PARAÍBA

pirarara pesque pague pesca com caiaque

[Antes de mais nada, não façam com as Pirararas o que eu fiz na foto!]

Já era um pouco mais velho quando meu pai começou a me levar aos “Pesque e Pague” da região. Era nossa melhor opção, já que ele nunca foi muito adepto a pesca embarcada. Frequentamos durante alguns anos diversas propriedades.

Pesqueiros são ótimos lugares para jovens pescadores treinarem suas técnicas. Com um material relativamente mais leve e, normalmente, mais barato, a diversão e acúmulo de experiência são garantidos.

Hoje, raras vezes volto a algum. Apenas quando me disponibilizo a ensinar algum colega técnicas especificas, e ele pagando a cerveja, claro!

 

PESCA DE PRAIA, ARREMESSO OU SURFCASTING 

pesca de praia

Foi em 2010 que eu comecei a querer algo diferente. Algum estilo de pescaria que pudesse realizar aqui na minha região. Algo que não fosse em um lago fechado e cevado.

Nesse tempo, o cartaz de um Campeonato de Pesca de Praia me chamou a atenção. SIM! Decidi-me que tentaria essa modalidade. Afinal de contas, eu vivia há apenas a uma hora de viagem até o litoral. Por que não?

Juntei as tralhas que tinha e #partiupraia !

Isso mesmo, simples assim. Varas de dois metros e meio, no máximo. Linhas 0,35mm. Anzóis que depois descobri serem enormes. Bem, daí fica fácil adivinhar o resultado, não?

Claro que deu tudo errado…

Depois disso, pesquisei, melhorei e fiz ótimas pescarias nos anos seguintes. Fiz novas amizades e cresci muito como pescador.

A procura, o estudo e o compartilhamento de ideias e experiências são formas de como crescemos em diversas partes de nossas vidas.

Lembram da frase que coloquei no início desse subtítulo?  Pois bem… a evolução vem aos que estão dispostos.

Sou muito grato à Pesca de Praia, afinal de contas ela me levou ao…

 

2. DESEJO DE LIBERDADE: A IDEIA DE NAVEGAR

Com uma única e pequena embarcação poderia ter minha independência decretada! Chegar naquela ilha que fica pertinho da praia. Ir aonde quiser, quando quiser e pescar do jeito que quiser!

Um caiaque de pesca pode te levar a conhecer lugares que você não esperava chegar, ou então, nem sabia que existiam. Paisagens lindas, animais inesperados cruzando seu caminho, locais desertos com praias exclusivas naquela parada para o lanche.

O sonho de pegar grandes troféus também se amplia. Descobrir pontos de pesca que nunca pôde explorar antes. Localizar grandes cardumes de peixes se alimentando.

Tudo isso você não consegue no barranco, mas se puder estar no lugar certo e na hora certa a única certeza é uma pescaria memorável que renderá muitas histórias na roda de amigos.

 

E foi assim que aconteceu…

Após uma ótima pescaria com pé na areia, minha família que estava a algumas praias de distância, chamou para me juntar a eles. Uma água de coco, um peixe frito… irrecusável, sim?!

Estávamos bem próximos a encosta direita da praia, onde um largo rio desembocava calmamente no mar. Foi então que decidimos alugar uma prancha para stand-up paddle, e nos divertimos no rio.

Quando chegou minha vez, usando meus óculos polarizados, percebi uma população enorme de peixes naquele local. Assim como pranchas, haviam também caiaques para passeio em locação.

Sabe aquele momento em que nossa mente acelera e conseguimos imaginar milhares de coisas em apenas uma fração de segundo?

 

As incansáveis pesquisas

Já em casa, comecei a buscar vídeos e mais vídeos na internet. Acabei me dando conta que um grande número de pessoas já havia descoberto essa maravilha antes de mim. Imaginem a minha cara ao saber que haviam caiaques específicos para pesca esportiva!

As semanas que sucederam minha epifania foram de buscas intermináveis para a escolha do meu novo melhor amigo de pescarias.

Minha jornada se tornaria muito mais precisa, fácil e baseada em coisas que realmente importam na hora de escolher, se eu pudesse contar com um artigo como este:  QUAL CAIAQUE DE PESCA? GUIA COMPLETO EM 8 PASSOS.

Mas no final, tudo deu certo…

 

3. BUNDA MOLHADA: A ESTREIA NO REMO

pesca de caiaque

Assim como muitos iniciantes, comecei com um caiaque de pesca a remo. Foi na Praia da Fortaleza, em Ubatuba, litoral norte de São Paulo, onde descarreguei meu porta malas e toda minha tralha pela primeira vez.

Águas calmas foi o fator determinante para a escolha.

Colete salva-vidas posto, hora de navegar!

A sensação de estar na água pela primeira vez, depois de meses de espera pela chegada da nave, era revigorante!

Ter aquele oceano inteiro para você, lugares que você nunca esteve, peixes que você nunca pegou… A mistura de tudo aquilo junto ao sol e a água do mar.

 

Pausa para a realidade

Era preciso treinar. Sim, cair na água, desvirar o caiaque, voltar para cima dele… Movimentos que todo novato precisa treinar incansavelmente antes de pescar pela primeira vez.

Após uma hora de muitos caldos e retornos, finalmente chegou a hora de pescar!

Tive o cuidado de levar o mínimo de material necessário e amarrar tudo muito bem. Ainda bem que fiz assim! Mal sabia que as minhas chances de caldo aquele dia eram de 100%.

Justamente porque tinha treinado, consegui me manter calmo, curtir a água refrescante e retornar em segurança ao caiaque, sem perdas, sem lesões. Aconteceu de forma tão natual que nem eu mesmo acreditei que havia conseguido de primeira.

Estava ali, eu e o mar, aquele contato tão próximo. Nem a falta total de peixes aquele dia conseguiu me deixar menos animado em voltar e fazer a segunda pescaria o quanto antes.


Já está ansioso na espera do seu caiaque de pesca?  Então compartilhe com seus amigos para que eles também conheçam esse esporte sensacional.


4. MEDO: O COMPANHEIRO DE SEMPRE

pesca com caiaque

Talvez o sentimento mais comum, expressado por futuros donos de um caiaque de pesca, seja esse. Temer o desconhecido faz parte do pacote de instintos que compõe o ser humano. E se isso te faz querer desistir da modalidade, antes mesmo de começar, saiba que é muito comum:

  • Medo da água;
  • Medo de vento;
  • Medo do perigo.

Logo na minha primeira pescaria, comecei a sentir que um vento estava se formando. Com o nível baixíssimo de experiência, eu fiquei realmente preocupado com a situação. Decidi sair do mar o mais rápido possível. Era meu instinto agindo

Hoje, depois de alguns anos de prática, sei que aquilo não passava de uma brisa.

Isso serve tanto para veteranos, como para pessoas que pretendem iniciar: o medo é seu melhor amigo para sempre. Mas não é ele que pode te fazer desistir!

 

5. ANOS DEPOIS: CENAS DOS PRÓXIMOS CAPÍTULOS

pesca de caiaque

Pescar em um caiaque talvez seja a experiência mais próxima de contato com a natureza que o alguém pode ter. O silêncio e o azul do mar, ou o verde das águas doces. Tudo acontece de forma calma e tranquila sobre um caiaque de pesca.

Sem o ronco de motores, nem a água que bate no barco, animais antes com medo, tornam-se curiosos.

Cardumes inteiros passam sob nós sem sequer se darem conta da nossa presença. Casais de Tucunarés passeiam tranquilamente. Golfinhos se aproximam curiosos.

Ainda, os menos apaixonados, encontram lá suas vantagens em um caiaque de pesca sobre quaisquer barcos:

  • Utilizando a devida técnica, é possível manuseá-lo sozinho o tempo todo;
  • A manutenção que o caiaque exige é basicamente enxague. Isso quando usado em água salgada ou salobra;
  • Pode ser guardado com menos espaço necessário;
  • Com o devido planejamento, se chega nos mesmos pontos que os barcos, com a vantagem de ser quase “invisível”aos peixes e ao ambiente como um todo.

Em 2013 iniciei na modalidade e hoje não tenho motivos para pescar de outra maneira. Toda a versatilidade que traz o caiaque e a evolução constante de modelos e acessórios, me fazem querer cada vez mais testar meus limites e habilidades.

O ser humano é naturalmente social. E na modalidade, essa característica se coloca em conjunto com seu oposto, que é a solidão. É assim que somos nós, caiaqueiros.

Dependemos em muitas coisas de nossas amizades para poder pescar, e no geral, somos todos muito colaborativos.

Orgulho-me de fazer parte de grupos de pessoas que entenderam e praticam o esporte dessa forma. Amizades que você não espera, te esperam.

Enfim, essa é minha história compartilhada com você!

Espero que com as minhas experiências você possa se animar em construir as suas também.

Gostou desse artigo?

Compartilhe com seus amigos para que eles também possam saber como é sensacional nosso apaixonante jeito de pescar e viver de bem com a natureza. Tenho certeza que você também irá entrar nessa de cabeça!

Seguir Rafael Renzetti:

Engenheiro e Pescador de modalidade embarcado em caiaque, em rios e no mar, quer ajudar você fazer a pescaria dos seus sonhos com o melhor equipamento, técnica e outras dicas importantes.

Últimos Posts de

6 Respostas

  1. Alexandre Nunes
    | Responder

    Demais essas dicas sobre pescaria com iscas artificiais, muito obrigado pelas dicas.

    • Rafael Renzetti
      | Responder

      Fala Alexandre, tudo certo?

      Fico feliz por ter curtido o artigo 🙂

      Boas pescarias!

  2. Fellipe Iury
    | Responder

    Rafael muito legal as suas dicas, sou iniciante no caiaque deve ter alguns messes que comprei o meu pinguim da caiaker, no meu caso eu gosto de expedições e passeio e ja estou comprando um duplo que é o new foca para levar a namorada para expedições. li o artigo de como transportar o caiaque de forma segura no carro pois esse caiaque que comprei é um pouco grande para o meu carro que é o suzuiki jimny mas pela legislação eu posso transportar um caiaque ate de 5 metros neste veiculo e o new foca tem apenas 3,80 metros de comprimento, estava meio preocupado se daria para transportar no meu carro mas agora tirei as minhas duvidas. Obrigado.

    • Rafael Renzetti
      | Responder

      Oi Fellipe,

      Obrigado pelo comentário.
      Ótimas expedições para você e sua namorada!
      Grande abraço

  3. Ricardo Gavira
    | Responder

    Muito bom seu artigo. Eu estou nessa fase de assistir vídeos, ler e trocar idéia com a galera. Espero que em breve eu já esteja com o meu para pescaria em rios do Mato Grosso do Sul.

    Obrigado

    Abraço

    • Rafael Renzetti
      | Responder

      Olá Ricardo, está no caminho correto.
      Obrigado pelo comentário e boas pescarias!

Deixe uma resposta