HOBIE FISHING WORLDS 2016

with 2 Comentários

campeonato de pesca com caiaque

Se existe o campeonato dos sonhos de todo caiaqueiro pescador, esse é o Hobie Fishing Worlds! Um campeonato de pesca com caiaque que na sua última edição reuniu 50 participantes de 18 países, em Leeville, uma cidadezinha no estado da Louisiana, nos Estados Unidos.

Já na sua sexta edição, foi a primeira vez que o mundial contou com a participação de uma equipe brasileira. Quatro bravos caiaqueiros dispostos a representar uma nação que cresce a cada dia no Brasil.

 

HISTÓRICO DA COMPETIÇÃO

Com muita tradição em campeonatos locais e mundiais na modalidade de veleiros, a empresa americana Hobie Cat, decidiu que era hora de realizar seu campeonato de pesca com caiaque. E foi em 2011 que tudo isso começou.

 

2011- Port Macquarie, New South Wales, Austrália

2012- Austin, Texas, Estados Unidos

2013- Victoria, Austrália

2014- Vinkeveense Plassen, Holanda

2015- Changshu, China

2016- Louisiana, Estados Unidos

 

A EQUIPE BRASILEIRA

Formada por integrantes de literalmente quatro cantos do país, tínhamos:

AKIRA TAGUCHI

campeonato de pesca com caiaque

MAIK PENNER

campeonato de pesca com caiaque

 Milton Hoffman

campeonato de pesca com caiaque

Rafael Renzetti

campeonato de pesca com caiaque

 

FORMATO DA COMPETIÇÃO

Um campeonato de pesca com caiaque desse porte não poderia ser decidido em um único dia, certo? Então que tal uma semana inteira respirando este clima de copa do mundo?!

É exatamente isso que o Hobie Fishing Worlds proporciona aos seus participantes. Os dias de pesca se dividem da seguinte maneira:

  1. Pre-fishing day 1: pesca livre para treino
  2. Pre-fishing day 2: pesca livre para treino
  3. Competition day 1
  4. Competition day 2
  5. Competition day 3

 

O CAIAQUE DA COMPETIÇÃO

 campeonato de pesca com caiaque

Em um torneio de nível tão elevado, nada mais lógico do que utilizar um dos melhores caiaques de pesca disponíveis no mercado mundial: o Pro Angler 14.

14 pés de comprimento, quase 1 metro de largura e alta estabilidade primária, fizeram a combinação perfeita para um local de águas relativamente calmas e onde era preciso passar boa parte do tempo da pescaria em pé.

E AINDA TEM MAIS

Claro, de ter a sua disposição um ótimo caiaque, com seu nome e a bandeira de seu país adesivados, ele já vinha equipado com:

  • Lowrance Elite 5Ti Fish finder Totalscan;
  • Muitos os acessórios para colocar Action Cameras;
  • Power-Pole: estaca elétrica para ancorar o caiaque em águas rasas;
  • H-Crate: caixa de tralhas;
  • Colete salva-vidas inflável;
  • Suportes extensores para varas;
  • Alicate de contenção;
  • Caixa para iscas;
  • Puçá: EGO S2 Slider Net;
  • Régua para medição YakAttack.

Clique aqui para assistir o vídeo com as especificações completas de tudo que equipou nossos caiaques. 

E o que para mim e para muitos foi a cereja do bolo: os novos Mirage Drive 180! O coração de todo caiaque da marca, em sua mais nova versão. Com pás que agora contam com sistema de ré e pelo que pudemos perceber, ainda mais eficientes que a versão Turbo.

Falando em escolha de caiaques, que tal as super dicas desse artigo: Qual caiaque de pesca: Guia completo em 8 passos.

 

E AÍ? ANIMADO?!

Então se prepare que o relato deste campeonato de pesca com caiaque incrível está só começando. Cheio de fotos e vídeos, este artigo vamos te mostrar tudo sobre:

  1. A preparação para o campeonato mundial de pesca com caiaque
  2. De Nova Orleans a Leeville
  3. Início do Hobie Fishing Worlds 2016
  4. Pre-fishing day 1
  5. Pre-fishing day 2
  6. O campeonato mundial de pesca com caiaque
  7. Encerramento

 

Gostou do que está por vir? Então compartilhe com seus amigos pescadores, e não esqueça dos grupos de whatsapp!

 

1- A PREPARAÇÃO PARA O CAMPEONATO MUNDIAL DE PESCA COM CAIAQUE

 Pense na seguinte situação: um lugar totalmente diferente, com peixes que requerem técnicas e métodos que você nunca utilizou antes. Esse era o principal “problema” a ser solucionado por cada um dos quatro competidores brasileiros.

Não sei como essa pesquisa se daria sem as facilidades que a internet apresenta hoje. Vasculhamos tudo que podíamos:

  • Artigos em revistas on-line;
  • Fóruns locais ativos ou não;
  • Fotos de peixes nas redes sociais;
  • Videos no YouTube, é claro.

Havia 3 peixes alvo, e pelas regras da competição seria necessário capturar cada um deles todos os três dias.

 

FLOUNDER (LINGUADO)

campeonato de pesca com caiaque

Uma espécie conhecida em diversos locais do mundo, inclusive aqui no Brasil. Não é um peixe que geralmente pescadores esportivos buscam. Seu comportamento de emboscada em fundos arenosos o torna extremamente difícil de ser capturado com iscas artificiais. 

SPECKLED TROUT

campeonato de pesca com caiaque

Um peixe muito procurado pelos pescadores da costa sudeste dos Estados Unidos. Em termos comparativos, se assemelha com a nossa Pescada Branca. Pode ser encontrada em locais onde existe águas correntes, e no local do torneio em profundidades que variavam entre 2 e 5 metros. O tamanho médio na região deste peixe é de 35 centímetros. Indivíduos com mais de 45 centímetros já eram considerados ótimos tamanhos.

RED FISH (RED DRUM)
campeonato de pesca com caiaque

A grande estrela do campeonato esse belíssimo peixe, se aparenta com uma Corvina brasileira e tem o comportamento de um predador muito voraz. Pode chegar a mais de 1 metro de comprimento e pesar mais de 30kg. Porém, na região, peixes a partir de 60 centímetros já eram considerados bem competitivos.

 

ALTA TEMPORADA X TRANSPORTE DE VARAS

campeonato de pesca com caiaque

Estamos acostumados a viajar pelo Brasil com nossas tralhas. Seja de carro, ônibus ou mesmo avião, não existem muitos problemas ao querer usar nosso material favorito.

Mas como na vida nem tudo é fácil, fomos informados de um embargo temporário de limite de comprimento de bagagens para voos comerciais. Nesse caso, o limite imposto era de 156 centímetros.

Foi aí que começou a busca pelas varas bi-partidas…

Bem, se você acompanha a página Kayak Fishing Brasil no facebook já sabe que as varas que utilizei no mundial, foram cedidas pela Loja Yumi e estão para ser sorteadas… dê um pulo lá que até dia 28 de Janeiro ainda dá tempo!

 

2- DE NOVA ORLEANS A LEEVILLE

campeonato de pesca com caiaque

Fazer uma viagem de quase 14 horas não é fácil para ninguém, nem mesmo quando o motivo é um campeonato de pesca com caiaque. Mas finalmente estava em Nova Orleans, a cidade do Jazz.

Como tudo na vida, se não tem emoção não tem graça, adivinhem o que aconteceu…

Meu tubo de varas foi perdido na minha conexão! Sabe quando bate aquela dor no bolso de uma compra não programada? Mas afinal, se fosse o caso, eu teria que comprar e pronto. Estamos falando de um Campeonato Mundial, não?!

Mas tudo se resolveu, e no dia seguinte, reencontrei minhas preciosas quando a companhia aérea as entregou no hotel… ufa!

campeonato de pesca com caiaque

Descansar? Que nada! Pé na estrada…

A belíssima capital do estado da Louisiana não era nosso destino final. Ainda havia 1h30 a serem percorridos de carro. Mas, como precisávamos antes de mais nada estar armados até os dentes para poder competir em alto nível, era hora de fazer uma…

VISITA AO PARAÍSO

campeonato de pesca com caiaque

Ahhhhh… as imensas lojas de Outdoors americanas. O paraíso de todos aqueles que gostam de tudo do bom e do melhor com preços ótimos quando comparados aos aqui do Brasil.

Nós fizemos a lição de casa e não perdemos tempo. Cada um com uma lista de coisas a serem compradas.

campeonato de pesca com caiaque

Iscas, linhas, varas… tudo aquilo que havíamos pesquisado durante meses começava a ser materializado, e descontado em nossos cartões de crédito.

 

À ESPERA DO QUARTO CAIAQUEIRO

Nessa altura da viagem, nosso quarto integrante Maik Penner, ainda não havia chegado. Pelo contrário, estava disputando a última etapa da Copa Kayak Fishing no Paraná. Saiu disparado do campeonato direto ao aeroporto para nos encontrar um dia antes do Hobie Fishing Worlds ter início. Esse é corajoso!

TIME COMPLETO #PARTIULEEVILLE

Após nosso amigo fominha ter conquistado a gloriosa sétima colocação no Brasil, com sua chegada pudemos partir para a cidade sede.

campeonato de pesca com caiaque

A visão que tínhamos da rodovia, constantemente era a da foto acima, o tão falado MARSH. Pode ser traduzido como um pântano, mas é uma geografia única, onde a água do mar invade por centenas de quilômetros o continente, formando essa paisagem única, de águas rasas e casa dos nossos sonhados peixes.

MORAN’S MARINA
campeonato de pesca com caiaque

Instalações simples, confortáveis e práticas. Era tudo que precisávamos para nos concentrar para os dias do campeonato de pesca com caiaque.

Essa marina, localizada no meio do nada estrategicamente próxima a rampa de acesso dos Kayaks, foi um ótimo local de convivência para os participantes durante todo o campeonato de pesca com caiaque.

Durante os dias que se seguiriam, a rotina era basicamente:

  • 4h00 hora de acordar
  • 5h00 café no restaurante
  • 6h00 instruções do dia e preparação dos caiaques
  • 7h00 Início da pescaria
  • 15h00 Fim da pescaria
  • 17h00 Resultados e instruções para o dia seguinte no Bar
  • 18h30 Janta

 

3- INÍCIO DO HOBIE FISHING WORLDS 2016

 campeonato de pesca com caiaque

Quem disse que segunda-feira é sempre um dia terrível? Bem, ao menos o dia 05 de dezembro de 2016 foi um dos dias mais memoráveis da vida de muitos pescadores de caiaque, inclusive da minha.

Era chegada a hora de finalmente confirmarmos nossa presença nesse tão sonhado e esperado campeonato de pesca com caiaque!

Toda a equipe brasileira foi recebida com muita atenção, tanto pela organização como pelos outros participantes. Éramos vistos como “os privilegiados que podem pescar tucunaré quando quiserem”.

É incrível como o mundo todo conhece a fama de nosso tão querido peixe, lá fora chamado de Peacock Bass, devido ao seu ocelo que eles comparam às pintas da cauda de um pavão.

MOMENTO CULTURAL

 Para desmitificar essa lenda criada lá fora, era importante ensinar nossos novos colegas que Peacock Bass não era o nome mais apropriado, já que Tucunaré não faz referência alguma a pavões!

A primeira missão era ensinar a pronuncia correta. Logo em seguida explicar que seu nome significa “Amigo da árvore” em uma língua indígena.

DE VOLTA AO CAMPEONATO…

Identidade confirmada, papelada assinada, presença eternizada nas camisetas, era hora de receber as enormes sacolas cheia de coisas que ainda não fazíamos ideia do que eram.

E estavam cheias mesmo!

campeonato de pesca com caiaque

Além da enorme quantidade das melhores iscas utilizadas na região para captura dos peixes alvo do campeonato de pesca com caiaque, havia bonés, buff, acessórios de alta qualidade… um baita kit de boas-vindas!

Claro que era hora de deixar um pouco a animação de lado e começar a preparar as coisas para o primeiro dia de reconhecimento do local e pescaria treino.

TUDO COMO ESTUDAMOS

Em um momento que deve ter durado cerca de três horas, nossa equipe se reuniu na sacada da pousada para alinharmos as melhores montagens que havíamos conseguido em nossas pesquisas pela internet.

Em momentos como esse, é importante o pescador ter em mente que:

  • O melhor nó é aquele que você já usa e funciona;
  • A melhor montagem é aquela que você sabe fazer;
  • As melhores iscas são aquelas que você sabe trabalhar melhor.

E no cruzamento de toda essa informação, com quatro brazucas vindos de regiões diferentes e com experiências tão distintas, o primeiro aprendizado foi entre nós mesmos.

Sensacional!

 

4- PRE-FISHING DAY 1 – HORA DE APRENDER

 

Enquanto muitas pessoas já nos perguntavam de nossos caiaques, pois centenas de fotos deles já circulavam nas redes sociais, nós ainda nem havíamos chegado perto daquelas coisas lindas. Finalmente, esse dia chegou!

Os dois dias de treinamento servem tanto para os pescadores se ajustarem ao ambiente e ao formato do campeonato, como também para que os organizadores testem tudo e façam os ajustes necessários para evitar o máximo de problemas possíveis durante os três dias decisivos.

APRESENTAÇÃO DOS VOLUNTÁRIOS

Fomos apresentados a um grupo de caiaqueiros locais. Eles se voluntariaram para serem guias do local e ensinar as técnicas corretas aos pecadores estrangeiros. Nós da equipe Brasileira tivemos a sorte e felicidade de contar com Scott, que inclusive falava português, e com Josh!

A PESCARIA

No primeiro dia, ficamos limitados a uma região determinada pela organização. Acompanhei então Josh, enquanto os outros brasileiros seguiram nosso colega Scott.

No caminho conversamos sobre como identificar os locais que poderiam ser mais propícios para tentar a captura de cada espécie. Também sobre técnicas e iscas mais indicadas para cada uma.

Você já se imaginou começando quase do zero novamente? Quando as iscas parecem as mesmas, mas o trabalho é bem específico. As montagens parecem as mesmas, mas aquele detalhe faz a diferença. Foi exatamente assim que me senti.

Claro que no primeiro dia nossos guias deram um show em capturas… mas nos deixaram todas as dicas necessárias para nos ajustarmos para um segundo dia melhor.

HORA DE MUDAR TUDO

Ou quase tudo. Para um primeiro dia, capturar um Red Fish e duas Speckled Trouts não era tão ruim assim. Afinal era a primeira experiência em um local com espécies totalmente diferentes do que já havia pescado.

Ao chegar na pousada, a mesma reunião do dia anterior aconteceu novamente entre os brasileiros. Era hora de reunir mais informações e mudar tudo que fosse necessário para arrebentar no segundo dia de treino.

 

5- PRE-FISHING DAY 2 – AGORA SIM!

Agora tinha que dar certo! Ajustes realizados era hora de ir para água novamente e fechar os detalhes para os dias de competição.

Desta vez, uma nova área foi liberada para pesca e rumamos direto para lá. Partimos para locais onde poderíamos pegar trutas e lá estavam elas!

O RESULTADO DAS MUDANÇAS

Pequenos detalhes realmente podem fazer a diferença e foi exatamente isso que esse segundo dia de treino nos mostrou.

Muitas ações de trutas e red fish!

Toda uma área nova a ser explorada e pontos de pesca a serem identificados. Nada como pegar muitos peixes para se sentir confiante logo no início do campeonato.

Já nesse dia, foi possível enxergar as nadadeiras que se expunham delicadamente para fora da água quando os peixes estavam se alimentando, bem como seus canais favoritos.

A TRUTA DE 19 POLEGADAS

Foi buscando Red Fish que de repente fisguei um bom peixe. E era uma baita de uma truta. Segundo nossos guias, com um peixe desse tamanho era possível partir para a próxima espécie sem preocupações pois estaria entre os maiores exemplares capturados, com certeza.

Foi nesse segundo dia também que acertei um belíssimo Red Fish de quase 23 polegadas. Não era um ótimo exemplar, mas já tinha um bom tamanho para pontuação oficial.

O resumo desses dias no campeonato de pesca com caiaque e nossos diversos peixes estão nesse vídeo!

ÂNIMO RENOVADO

Com um ótimo segundo dia de treino, não poderia ser diferente. A confiança para uma boa participação nesse campeonato de pesca com caiaque havia alcançado níveis muito bons!

Adrenalina fazia nosso sangue ferver e compensar as noites e manhãs geladas da Louisiana.

Era hora de deixar tudo zerado novamente porque o próximo dia seria diferente! Afinal, treino é treino, jogo é jogo.

 

6- O MUNDIAL: CAMPEONATO DE PESCA COM CAIAQUE

campeonato de pesca com caiaque

Finalmente o dia chegou! Pernas prontas para chegar primeiro nos pontos de pesca. Estudo de melhores pontos feitos no dia anterior e tralha 100% preparada.

A preparação era de verdadeiros atletas. Às 20h30 da noite anterior, todos já estavam dormindo para acordar às 4h00 da madrugada.

Comemos nosso brunch, palavra da língua inglesa que faz referência a um café da manhã que mais se aproxima de almoço, fomos encontrar nossos caiaques.

DIA 1 – E O VENTO LEVOU…

Acostumados com os erros das previsões do tempo aqui no Brasil, não acreditamos muito nas notícias de que uma forte frente fria se aproximava, e nos atingiria por volta do meio dia.

Bem, ela veio! E chegou com força total um pouco antes até, por volta das 10h00 da manhã.

Antes disso foi possível conseguir a captura de alguns pequenos exemplares, mas quase todos abaixo da medida mínima exigida pelo campeonato.

O time brasileiro optou por avançar contra o vento no início da manhã, para voltarmos a favor dele, seja lá a velocidade que ele pudesse alcançar. E que velocidades!

Em conversa com membros do time dos Estados Unidos, que arriscaram seus pontos de pesca e por isso voltaram contra o vento o relato foi o seguinte:

“Cheguei no ponto, peguei meu peixe e resolvi voltar. Pedalei por uma distância de 4 quilômetros das 10h30 as 14h00. Peguei um peixe, mas estou morto e cheio de cãibras.”

Ative as legendas e abaixe o volume!

DIA 02 – SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR

Com as fortes rajadas de vento que se estenderam durante a noite, a organização da prova decidiu por bem, postergar a largada do segundo dia para as 10h00 da manhã.

Medida de segurança muito elogiada pela maioria dos competidores que não gostariam de retornar à água caso as condições não melhorassem.

Conseguem perceber a criticidade da situação? Era um campeonato mundial! Não são muitas coisas que fazem competidores em um campeonato de pesca com caiaque desse porte pensarem se vão querer competir ou não. Nesse caso, o vento quase ganhou. Quase!

Leia o esse artigo completo “Como garantir sua segurança na pesca com caiaque” para entender mais sobre o assunto.

SEM VENTO, MAS…

Com os estragos da frente fria já causados, os peixes também não deram as caras. Assim como na maioria dos lugares, a parte da manhã é bem mais produtiva do que o meio do dia. Então, apesar de seguros, encontrar peixes não foi nada fácil.

Até encontramos, mas todos abaixo das medidas mínimas. Um pequeno Red Fish e uma três Speckled Trout me fizeram acreditar que apesar de tudo, ainda havia esperanças para o último dia do campeonato de pesca com caiaque.

TOP 10 SEM SUCESSO

No primeiro dia da competição os “donos da casa” estadunidenses dominavam as 10 primeiras colocações do campeonato de pesca com caiaque. Nada mais lógico, afinal, conheciam o lugar, os peixes, os melhores pontos. Mas como aprendi com um holandês “peixe tem rabo”!

Passaram literalmente em branco e também não pontuaram. Pouquíssimos competidores conseguiram algum ou outro peixe, mas nada significativo. Não houve quem disparasse à frente e a competição estava totalmente indefinida.

DIA 3 – OU TUDO OU NADA

campeonato de pesca com caiaque

Hora de sentar novamente com o mapa aberto no celular e refazer os planos do ataque final. Enviamos mensagens aos guias que tinham nos ajudado durante os dias de treino e explicamos tudo sobre como o tempo tinha influenciado a pesca.

Eles então nos enviaram novos pontos, locais mais profundos e protegidos das correntes mais fortes, onde os peixes provavelmente buscariam abrigo e águas mais quentes.

Rota feita, hora de entrar na água!

O dia amanheceu com cerca de 5° Celsius e não acreditávamos na leitura da temperatura da água: pouco menos de 10° Celsius. Se compararmos com o último dia de treino, era uma diferença de -15°C. Uma mudança muito abrupta.

Bem, precisávamos ir atrás desses canais mais fundos, que no local significam entre 3 e 5 metros de profundidade. A outra mudança nos nossos planos era permanecer mais tempo no mesmo local, já que com a mudança na temperatura da água os peixes estariam, com certeza, menos ativos e vorazes do que nos dias anteriores.

CADÊ A ÁGUA?

Durante nosso deslocamento para os pontos de pesca a surpresa da vez: a maré tinha baixado tanto, que os locais no meio do marsh  que antes davam acesso, agora eram intransitáveis, mesmo no remo.

A lama exposta exalava um odor nada agradável, aliás, era horroroso mesmo! Mas precisávamos chegar aos pontos, precisávamos de peixes.

HORA DO PLANO C

Tem horas na vida que você precisa pensar rápido e tirar um coelho da cartola. Foi o que precisamos fazer no terceiro dia do campeonato de pesca com caiaque. Colocar o Plano C em ação!

Montagens que permitiam trabalhos mais lentos como o famoso drop shot e texas rig, mas nem eles traziam resultados. Os peixes haviam sumido de vez.

Conseguimos pegar algumas trutas e como na maioria das vezes após a mudança de tempo, abaixo da medida.

Lutando até o fim, sem nos deixar desanimar, de repente eis que Maik fisga o inesperado…

FINALMENTE UM GIGANTE!

A esperança voltou a tomar conta dos brasileiros quando nosso amigo Maik começou uma briga épica com um peixe enorme!

Ele removeu a ancoragem do Power Pole para que seu caiaque pudesse ser arrastado pelo peixe e assim cansá-lo mais facilmente.

Minutos se passaram até que pudemos finalmente ver a gloriosa captura de nosso amigo.

campeonato de pesca com caiaque

Um exemplar enorme de uma espécie chamada Black Drum! Infelizmente não era válida para pontuação no campeonato, mas todos ficamos felizes e emocionados com os momentos daquela briga e todo o esforço de nosso amigo ao trazer o grande peixe para cima de seu caiaque.

O vídeo completo dos três dias de competição você pode assistir agora! Não esqueça de ativar as legendas, lembra do vento?

 

Gostou do que leu até aqui? Então compartilhe com seus amigos pescadores, sobre este incrível campeonato de pesca com caiaque!

 

7- A GRANDE FESTA

 campeonato de pesca com caiaque

Como não poderia ser diferente, um super evento tem que ter um super encerramento!

Após o jantar, teve início a cerimônia de premiação onde vimos muitos depoimentos parecidos: “depois de alguns mundiais, finalmente consegui meu top 10”. Conquistas comemoradas por todos!

Conhecemos também o primeiro Bi-Campeão da história do Hobie Fishing Worlds. Steve Lessard, havia sido campeão na Holanda em 2014 e agora, em casa, pois é natural da Lousiana, levantava pela segunda vez o título de campeão mundial!

 

8- UM CAMPEONATO PARA VIDA

 Existem momentos que vivemos que duram mais do que realmente dizem os dias do calendário.

As expectativas, as imagens dos momentos e as emoções vividas, são causadoras de um saudosismo precoce que atinge a mim e a cada um que participou desse grandioso evento.

A EXPERIÊNCIA

Em uma palavra: ESPETACULAR. Desde a organização até a troca de conhecimento entre os participantes. Tudo isso fez com que aprendêssemos muito e trazer na bagagem algo impossível de ser barrado pela alfandega.

Muito do que trouxemos, pode ser testado e aprimorado para nossa realidade e tenho certeza que cada um dos brasileiros que participaram, voltaram melhores pescadores do que chegaram lá.

AS DIFICULDADES

Por si só, um campeonato de pesca com caiaque desse porte marcaria nossas vidas para sempre. Acrescente a isso, toda dificuldade causada pelo mau tempo e a necessidade de nos ajudarmos a cada momento. Estarmos vigilantes pela nossa segurança e a segurança de nossos amigos brasileiros.

Laço que foram criados virtualmente através das mídias sociais e fortalecidos em momentos reais de pesca, lazer e, por que não, sufoco.

O MAIS DIFÍCIL

 Sem sombra de dúvidas é a volta à realidade. Imagine você, após viver uma semana de:

  • Ter disponível um dos melhores caiaques do mundo;
  • Café da manhã incluso e delicioso;
  • Ajuda de um time para colocar seu caiaque na água;
  • Ajuda para retirar seu caiaque da água;
  • Ter seu caiaque lavado diariamente;
  • Jantares especiais todos os dias sem custo adicional;
  • E cerveja gelada a U$1,00!

Com certeza, a necessidade de voltar à rotina diária era dolorida…

O ANO QUE VEM…

Tem mais! Ainda não sabemos onde, nem quando, nem como poderemos ser candidatos a estar lá, seja esse “lá” onde for. Mas com certeza nos faremos candidatos e os selecionados, sejam eles quem forem, contarão com a ajuda desse quarteto único, que desbravou as terras do Tio Sam e foram atrás do sonho de muitos caiaqueiros pescadores.

Seguir Rafael Renzetti:

Engenheiro e Pescador de modalidade embarcado em caiaque, em rios e no mar, quer ajudar você fazer a pescaria dos seus sonhos com o melhor equipamento, técnica e outras dicas importantes.

Últimos Posts de

2 Respostas

  1. Mario Gonda
    | Responder

    Caraca!!!!
    Bela aventura, Renzetti!!!!!

    • Rafael Renzetti
      | Responder

      Demais, Mário! Valeu

Deixe uma resposta