DIA DE RECORDE! PESCA DE CAIAQUE – 35KM EM ILHABELA

with 4 Comentários

pesca de caiaque ilhabela

Nossos corações ainda batem mais forte quando lembramos dessa viagem para realizar uma pesca de caiaque em Ilhabela. Uma cidade encantadora, que é também a terceira maior ilha do Brasil.

Sepituba é frequentada por aventureiros que praticam trilhas e pesca de costeira ou embarcada, esse ponto também é o final de uma estrada que levaria até a deserta Praia do Bonete.

Construída originalmente até a praia, a parte entre Sepituba e Bonete foi destruída pela natureza e se transformou em uma trilha. Hoje, as pessoas caminham cerca de 15km no meio de uma mata quase fechada, mas o final é compensador.

Um ponto de pesca promissor. Profundo e cheio de pedras, é casa de grandes garoupas, badejos e outros peixes de grande porte que esporadicamente passam por ali.

Agora, se você acredita que fomos de carro até o final da trilha, não perde por esperar!

Ao ler este artigo, vamos redescobrir como eu e meus amigos conseguimos realizar essa pescaria de caiaque épica, com nível de dificuldade extremo, com sucesso e segurança. Aqui vou te contar tudo sobre:

1. A pescaria que começa em casa

2. A ponta da Sepituba – Ilhabela

3. O caminho de volta

4. Finalmente pés na areia


Gostou do que está por vir? Ao final do relato você terá o link para o vídeo completo dessa pescaria no YouTube. Compartilhe com seus amigos! 


1. A PESCARIA QUE COMEÇA EM CASA

2

Todo mundo tem aquele amigo que tem um parafuso a menos na cabeça, certo? Pois é… Ainda mais quando esse amigo é louco por pescarias de longa distância. Apesar disso, ele é uma pessoa muito responsável e não faz nada sem um grande planejamento antes.

Esse é o Fagner Mantovani, e ele nos contagiou a fazer essa pescaria que ainda é inacreditável para muitos, e nos transformou nos Seis Guerreiros do Atlântico.

PLANEJAMENTO É TUDO PARA UMA PESCARIA 

Processed with VSCO

As conversas começaram dois meses antes da pescaria. Toda a costa Sul de Ilhabela é desprovida de praias. Existem apenas muralhas enormes de pedra que se erguem da água. Ou seja, passaríamos o dia todo em nossos caiaques de pesca.

Mesmo a opção de ir até o final da estrada não nos servia. Não há como descer pelas pedras mesmo, sem caiaques.

O único jeito era navegar!

Com a ajuda de uma das ferramentas mais importantes para a pesca de caiaque, o Google Maps, concluímos que o ponto mais próximo para a largada seria a Praia do Veloso. Um local protegido, com águas bem calmas e sem muitos banhistas devido à falta de infraestrutura.

Mesmo assim, estávamos encarando uma rota estimada em 17,5km apenas para chegar ao local.

BUSCA DE INFORMAÇÕES SOBRE O MAR

Já que a decisão de ir estava tomada, não poderíamos ser prepotentes a ponto de não pedir ajuda. Consultamos Capitães profissionais e experientes da região. Era preciso prever toda e qualquer situação, pois como disse anteriormente, não haveria praias por todo o caminho. As questões principais eram feitas nesta ordem:

  • Estabilidade climática;
  • Correntes marinhas;
  • Sinais de mudança de tempo;
  • Fluxo de embarcações no local;
  • Peixes alvo e iscas.

ÁGUA E ALIMENTAÇÃO 

O quanto de água você calcularia levar em uma pesca de caiaque em ilhabela com 35km em um dia de verão?

Cálculos dessa natureza foram de extrema importância. Sabíamos que a pescaria tomaria o dia todo. Na minha bolsa havia seis litros de água, 4.500kcal em comida e mais dois isotônicos.

Agora, de que adianta levar tudo isso, se nos empolgamos com a pescaria ao ponto de esquecer tudo ali dentro do casco do caiaque?

Toda a hidratação e comida foi controlada para acontecer a cada 30 minutos. Era muito importante manter os níveis de energia estáveis para evitar fadigas musculares ou de qualquer outra natureza.

PREVISÃO DO TEMPO

Imagine se aventurar em uma pescaria de caiaque em Ilhabela, sem uma única praia para poder esticar as pernas. Planejar corretamente e aguardar a previsão de tempo ideal são exercícios de paciência, mas sem eles você pode colocar em risco sua própria vida.

Não entrarei em detalhes nesse artigo, mas direi os fatores que são precisos monitorar e além disso, entender suas variações ao longo do dia:

  • Temperatura
  • Cobertura de nuvens
  • Ventos: direção e velocidade
  • Índice UV
  • Correntes marítimas
  • Ondulação

2. A PONTA DA SEPITUBA

pesca de caiaque ilhabela

 

O caminho era longo. Às cinco e pouco da manhã já cruzávamos de balsa o canal em direção à Praia do Veloso na cidade de Ilhabela, nosso ponto de partida. Já na praia, caiaques tralhados, hora de zarpar!

Ao todo, seis bravos caiaqueiros se aventurando para a pescaria que quebraria o recorde pessoal de distância de quase todos os participantes:

3 Hobie Outbacks

2 Hobie Revolution

1 Tandem Island

A PESCARIA

Pedalamos forte durante toda a manhã, escolhendo os melhores pontos no caminho para jogarmos algumas iscas. Porém, sem perder muito tempo, afinal nosso objetivo precisava ser alcançado.

Acertamos em cheio na previsão e o mar estava ótimo. Os peixes teimavam em aparecer pela manhã. A costa sul da ilha é um local bem profundo para média do litoral paulista. Com variações entre 30 e 50 metros, boas estruturas ao longo de todo o trajeto.

Pequenos peixes aqui, outros pequenos ali… A coisa não estava fácil. Apesar disso, a vista espetacular nos distraía e seguimos em frente.

FINALMENTE CHEGAMOS!

pesca de caiaque ilhabela

Era algo em torno do meio dia quando chegamos ao nosso local final de pesca!

Um lugar incrível, com lindas formações rochosas. Muitos já haviam chegado àquele ponto através da estrada, mas, e de caiaque com objetivo de pescar? Quantos? Não temos notícias, mas acredito que somos um grupo de raros guerreiros que conseguiram esse feito.

As condições do mar estavam ótimas, mas os peixes insistiam em não sair. Um de nossos amigos já havia pego uma belíssima Carapeba, e fora ela, nem sinal de outros grandes passando pela região.

FAGNER ON THE ROCKS

O único incidente ocorrido nessa pescaria foi envolvendo eu e meu amigo Fagner. Por um descuido nosso, minha isca de corrico acabou se prendendo no caiaque dele. Enquanto um outro amigo nos ajudava a livrar os anzóis, a linha de uma outra vara que o próprio Fagner levava, enroscou em seu leme.

Para conseguir se desvencilhar ele fez o seguinte:

  • Recolheu o leme;
  • Desenroscou a linha;
  • Acionou o leme novamente.

Porém, no calor da situação, não se lembrou de travar o acionador. Foi quando a marola do local praticamente anulou o leme de seu caiaque e o jogou contra as pedras.

Num lance rápido, ele sacou o remo na lateral e colocou muita força para se livrar da corrente que o puxava com força para a costeira.

Foi tudo muito rápido!

Ele foi salvo por sua experiência e responsabilidade em treinar situações de emergência. Isso, infelizmente é negligenciado por muitos na modalidade de pesca com caiaque. Tantos novatos, por falta de bons tutores, quanto dos velhacos por excesso de confiança, prepotência e falta de respeito com os limites que a natureza pode impor.

Veja aqui o vídeo desse momento!

 

3. O CAMINHO DE VOLTAProcessed with VSCO with f2 preset

Metade do caminho feito e objetivo alcançado, mesmo que sem grandes peixes fisgados, era hora de voltar. E quem sabe o grande troféu do dia ainda estava por vir. Com a ajuda do vento, nossos amigos no Tandem Island dispararam a frente.

Fazíamos inúmeras pausas para reidratação e repor as energias com nossas toneladas de comida embarcada.

Alguns ainda aproveitavam essas pausas para jogar algumas iscas na água, enquanto eu, o que mais queria era pedalar e estar em terra novamente.

A BATALHA DE ITAPECERICA

Quando se está no mar, vários fatores nos afetam, e talvez um dos mais perigosos seja a invisível corrente. Ela não necessariamente influencia no tamanho da ondulação, mas pode te pegar desprevenido.

E foi exatamente o que aconteceu quando passávamos por uma região conhecida como Itapecerica. Uma corrente muito forte e contrária ao sentido de volta nos pegou e exigiu força, paciência e determinação.

Recordo-me demorar cerca de 20 minutos para vencer um trajeto de aproximadamente 150 metros. Foi difícil, muita energia gasta, mas conseguimos.

Como nada é por acaso, você, caro leitor, precisa saber que estávamos a bordo de caiaques que nos possibilitavam uma aventura como esta. Nunca, em um caiaque inadequado, conseguiríamos vencer esse desafio.

Falando nisso, saiba como escolher o caiaque ideal para cada tipo de pescaria artigo memorável, preparado especialmente para você: Qual Caiaque de Pesca? Guia completo em 8 passos.

Além disso, também é preciso conhecer os limites físicos e experiência de cada um. Assunto bem comentado no artigo sobre a estabilidade em caiaques de pesca.

OASIS DE VENTO, UM ALÍVIO PARA AS PERNAS

pesca de caiaque ilhabela

Quando alcançamos o Canal de São Sebastião, exaustos, com a água escassa e ainda alguns quilômetros pela frente, o vento que pode castigar qualquer caiaqueiro veio dessa vez como um alívio. Rápido e na direção certa, acelerou nosso caminho de volta até a Praia do Veloso.

Uma grande sacada que tivemos foi separar nossos remos bipartidos e colocá-los como minivelas nos porta varas dianteiros. Ganhamos incríveis 2km/h de ajuda natural.

Os mais prevenidos hastearam suas capas de chuva e conseguiram uma boa vela improvisada.


A aventura está chegando ao fim. Deu vontade de fazer uma igual? Então compartilhe com seus amigos e deixe eles morrendo de vontade também!


4. FINALMENTE PÉS NA AREIA

pesca de caiaque ilhabela

Foi incrível poder realizar essa pescaria de caiaque. Mas a alegria de ver a praia de onde partimos também foi uma sensação maravilhosa. Fui o primeiro a chegar após o nosso velocista a vela, o Tandem Island.

Pouco a pouco nossos amigos voltavam, cada um com seu nível de cansaço e estresse físico. E são nessas horas que compartilhamos nossas preciosas sobras de líquidos e comida. Ufa! Um alívio para o corpo e a mente.

O dia estava acabando e a sensação de missão cumprida nos revigorava na volta para casa. Não me lembro de uma outra travessia de balsa tão animada como aquela, enquanto as pessoas em volta mal imaginavam o porquê de tamanha alegria.

Superamo-nos… e muito!

pesca de caiaque ilhabela

Uma pescaria de caiaque como essa, acredito que irá demorar para ser realizada novamente. Por isso, minha satisfação em registrá-la para que todos que participaram possam sempre buscar aqui e nas nossas memórias os bons momentos que passamos aquele dia.

E agora, antes de ver o vídeo dessa pescaria de caiaque tão memorável, compartilhe com seus amigos para que eles também conheçam essa história épica que realizamos na linda cidade de Ilhabela.

Seguir Rafael Renzetti:

Engenheiro e Pescador de modalidade embarcado em caiaque, em rios e no mar, quer ajudar você fazer a pescaria dos seus sonhos com o melhor equipamento, técnica e outras dicas importantes.

Últimos Posts de

4 Respostas

  1. Olavo Cruz
    | Responder

    Me lembro muito bem deste dia !!!
    Meu record também !! Pena que peguei poucos e pequenos peixes…
    Aventura total !

    • Rafael Renzetti
      | Responder

      Ta demorando pra sair outra como essa!

  2. Marcelo Mig
    | Responder

    Li com interesse seu relato.

    Estou pesquisando compra de caiaque. Meu objetivo é cobrir grandes distâncias, e portanto ter a maior velocidade possível. Não tenho interesse em pesca, mas em observação da natureza e fotografia.

    Dentre os caiaques que usaram, os Revolution apresentam velocidade significativamente maior que os Outback?

    • Rafael Renzetti
      | Responder

      Olá Marcelo, fico feliz que o relato tenha sido interessante a você 🙂
      A série Revolution é sim mais rápida que o Outback e aparentemente é o modelo mais adequado a você.

      Agora, para cobrir grandes distâncias (grandes mesmo) acredito que talvez até um Adventure Island possa te servir melhor.
      Vou te enviar meus contatos via e-mail e podemos conversar melhor.

      Boas aventuras!

Deixe uma resposta